Posto de combustíveis em São José é interditado pelo Procon e Polícia Civil após fraudes graves

posto-de-combustiveis-em-sao-jose-e-interditado-pelo-procon-e-policia-civil-apos-fraudes-graves

Um posto de combustíveis, localizado no bairro Floresta em São José, na Grande Florianópolis, foi interditado por 72 horas. Um frentista foi preso em flagrante. A interdição foi feita na sexta-feira (8), por fiscais do Procon Municipal, com a colaboração da Polícia Civil, da Guarda Municipal e do Inmetro.

Posto de combustível

Posto de combustíveis no bairro Floresta é interditado por 72 horas. – Foto: PMSJ/ND

A ação conjunta foi desencadeada após duas semanas de monitoramento, que resultou na prisão em flagrante de um frentista. As autoridades apontaram que ele adulterava a bomba de Gás Natural Veicular (GNV).

Posto de combustíveis envolvido em esquemas fraudulentos

O estabelecimento já havia sido interditado, em setembro, devido à falta de emissão de cupom fiscal. O esquema fraudulento envolvia preços fixos, bombas com visores desligados e ausência de informações essenciais, prejudicando, principalmente, motoristas de aplicativos.

Durante a inspeção, os fiscais identificaram falhas em bombas que não exibiam informações cruciais, como preço e quantidade de gás. A diretora-geral do Procon, Clarice Fátima da Costa, anunciou que enviará um ofício à Receita Estadual para investigar possíveis irregularidades tributárias.

Clarice enfatizou que ações irregulares representam uma séria violação dos direitos do consumidor – Foto: PMSJ/ND

Frentista do posto de combustíveis preso em flagrante

O delegado da Polícia Civil, Manoel Galeno, revelou que foi apreendido aproximadamente R$ 1 mil, que era apenas o lucro daquela manhã. O frentista foi detido em flagrante, enquanto o gerente e o proprietário do posto, ausentes no momento, serão investigados por crime contra o consumidor.

“Com esse esquema fraudulento, ele foi detido em flagrante e encaminhado para Delegacia de Polícia, onde serão feitos os procedimentos formais da prisão. Já o gerente e o dono do posto, que não estavam no local, serão investigados por crime contra o consumidor”, explicou Galeno.

Clarice enfatizou a gravidade das ações irregulares e incentivou denúncias, salientando a importância da atuação conjunta na defesa dos direitos do consumidor e na preservação da integridade dos serviços essenciais à população.

O frentista foi detido em flagrante, enquanto o gerente e o proprietário do posto, ausentes no momento, serão investigados por crime contra o consumidor – Foto: PMSJ/ND

Adicionar aos favoritos o Link permanente.