Preços de hospedagens disparam em Paris para as Olimpíadas de 2024

Um levantamento do jornal Le Parisien feito em agosto, mês em que o evento vai ser realizado em 2024, mostrou que as diárias de 12 hotéis escolhidos de forma aleatória estão em média 6,6 vezes mais caras do que neste ano. Olimpíadas de Paris: hospedagens para o período dos jogos estão até 1500% mais caras
Quem for às Olimpíadas de Paris no ano que vem vai pagar caro pela hospedagem. Um levantamento mostrou um aumento de até 1.500% no preço das acomodações no período dos Jogos.
Paris é um dos lugares mais visitados do mundo. São cerca de 50 milhões de turistas por ano. Durante as duas semanas das Olimpíadas, em 2024, mais de 15 milhões de pessoas devem passar pela cidade.
A procura por hospedagem, que já é alta, cresceu ainda mais para o período dos Jogos. E a inflação do setor disparou.
Um levantamento do jornal Le Parisien feito em agosto, mês em que o evento vai ser realizado em 2024, mostrou que as diárias de 12 hotéis escolhidos de forma aleatória estão em média 6,6 vezes mais caras do que neste ano. Um hotel chegou a registrar uma mudança de 90 euros para 1.363 mil. Um aumento de 1.514%.
Frank Delvau é o presidente da União de Comércios e Indústrias Hoteleiras da França. Ele admitiu os preços exorbitantes, mas explicou que os hotéis ainda vão colocar mais 150 mil quartos à disposição para os Jogos Olímpicos.
A inflação também está sendo pressionada pela busca por aluguéis de temporada. Os anúncios desse tipo de serviço para o período das Olimpíadas já foram vistos 100 vezes mais do que os deste ano.
A enorme demanda explica a explosão dos preços. Uma noite em um apartamento pequeno em uma rua perto da Torre Eiffel, está custando em torno de R$ 4 mil.
O Jean-Rémy é francês e a Catharina, baiana de Salvador. Os dois pretendem alugar o apartamento onde moram em Paris por alguns dias durante os Jogos.
“Eu acho que em três noites, com esse preço que está em Paris, o pessoal pode receber o preço de um mês de aluguel. É realmente uma loucura”, diz Jean.
O parisiense também está com receio do quanto vai ser difícil viver na cidade durante as Olimpíadas. Paris tem cerca de 2 milhões de habitantes e recebe outros 4 milhões de trabalhadores diariamente – sem contar os turistas.
“Vai ser muita confusão. Tem muita gente na pausa do café, no escritório, falando sobre como achar solução para sair de Paris. Vai ter muito incentivo para o home office das empresas, é que todos estão falando”, diz Catharina.
Frank Delvau acredita que, para quem quer vir para as Olimpíadas, o ideal é esperar mais um pouco. Ele garante que os preços vão diminuir nos próximos meses.
Privilégio mesmo é de quem pode viver os dois lados dessa história. O Jean-Rémy e a Catharina conseguiram comprar ingressos para duas modalidades e já sabem que não vai ser difícil achar inquilinos por alguns dias.
“Eu fui no Brasil durante as Olimpíadas e fui muito bem recebido por amigos. Agora esses mesmos amigos estão me ligando. Vai ser a vez deles de viver no apartamento da gente, só que um pouco mais caro”, brinca Jean.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.