Jorginho ‘desmente’ Bolsonaro e diz que foi convidado por Milei

Governador de SC também colocou em sigilo as informações sobre as despesas com a viagem. Ele alega que não terá custos para os cofres públicos

Jorginho 'desmente' Bolsonaro e diz que foi convidado por Milei

Divulgação / Redes sociais

O Governador de Santa Catarina, Jorginho Mello (PL), embarcou nesta sexta-feira para a Argentina para a cerimônia de posse do novo presidente do país, Javier Milei. Contudo, a informação que despertou curiosidade no cenário político local e nacional foi a alegação de Mello de ter recebido o convite diretamente do governo argentino, omitindo qualquer menção ao ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Segundo o comunicado oficial do governo catarinense, Jorginho Mello enfatizou sua ida a convite do “governo atual da Argentina”, com o objetivo de discutir questões comerciais, incluindo o comércio de leite e outros produtos entre Santa Catarina e a Argentina. Esta declaração surge em um momento delicado, onde Mello, conhecido por suas relações prévias com diversos políticos, incluindo Dilma Rousseff, Michel Temer e Bolsonaro, parece manter uma postura cautelosa em relação ao atual governo federal liderado por Lula.

O fato de Jorginho Mello se distanciar do convite de Bolsonaro e ressaltar um convite independente do governo argentino levanta questões sobre suas intenções políticas e alinhamentos futuros. Esta atitude pode ser interpretada como uma estratégia para manter uma imagem de neutralidade e independência, especialmente considerando a vigilância constante dos apoiadores de Bolsonaro sobre suas ações e alianças.

Além disso, a decisão do Governo de Santa Catarina de colocar sigilo no processo de diárias de viagem à Argentina, identificado como SCM 1830/2023, adiciona uma camada de mistério e suspeita à viagem. O Tenente-Coronel Gabriel Tussolino, ajudante de ordens de Mello, recebeu autorização para se ausentar do estado e acompanhar o governador nesta “missão internacional”, intensificando as especulações sobre os custos e a natureza exata da viagem.

Essa abordagem de Jorginho Mello, tanto em seu posicionamento político quanto no manejo das informações relativas à sua viagem, reflete a complexidade e as nuances do cenário político atual. Enquanto Mello navega por estas águas turbulentas, as reações e as implicações de suas escolhas permanecem um assunto de interesse público e análise política.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.