Seminário gratuito em Macaé apresenta os desafios da Educação Inclusiva a representantes do Judiciário


Inscrições podem ser feitas pela internet até a abertura do evento, que ocorre nesta quarta (13) e quinta-feira (14) na Cidade Universitária. Seminário será na Cidade Universitária, em Macaé
Maurício Porão/Ascom Macaé
O seminário regional “Sistema de Justiça e Educação Inclusiva – Desafios e Perspectivas” será realizado nesta quarta (13) e quinta-feira (14) em Macaé, no Norte Fluminense.
O encontro, com entrada gratuita, será realizado no auditório do bloco B da Cidade Universitária. A abertura, nesta quarta, será às 14h e vai contar com a presença dos representantes do Ministério Público, Bruno Cavaco e Lucas Bernardes, além de representantes da Defensoria Pública, Marina Lopes e Maísa Sampaio.
Para participar é preciso se inscrever pela internet, no seguinte link: https://forms.gle/o5ed5xr2EvrEKMfo7.
Cidades participantes
Participam do encontro, promovido pela Secretaria de Educação de Macaé, além de representantes do Judiciário, gestores da Educação de Macaé e de outros cinco municípios: Quissamã, Rio das Ostras, Carapebus, Casimiro de Abreu e Conceição de Macabu.
Na quinta, os representantes dos municípios vão apresentar seus painéis sobre o tema. O encontro também contará com a participação de gestores das pastas da Saúde e Assistência Social.
A superintendente de Educação Inclusiva e Social, Janaína Pinheiro, será a mediadora da temática abordada por Macaé, “Os desafios da pessoa com deficiência: um olhar intersetorial para o educando”.
O tema será subdivido em três eixos: profissional de apoio, flexibilização curricular e atendimento integral à pessoa com deficiência.
A Secretária de Educação de Macaé, Leandra Lopes, ressalta que o objetivo do seminário é a apresentação da prática do Executivo Municipal ao Judiciário.
“Vamos mostrar a prática no chão da escola, para que, juntando as forças, possamos atender com qualidade e equidade o aluno. O Ministério Público foi um grande incentivador para a realização deste seminário como fórum permanente. Posteriormente discutiremos esta questão de forma mais ampla, com a participação da sociedade civil, de pais e daqueles que precisam deste atendimento. A ideia é pensar uma política pública para a nossa região de forma democrática”, disse Leandra.
Educação Especial
Macaé atendeu neste ano letivo (dado da preliminar do Censo Escolar) 2.346 alunos da Educação Especial.
Na cidade, a Rede Municipal de Ensino oferece 68 Salas de Recursos, todas com professores com pós-graduação na área de Educação Inclusiva; 10 Salas de Apoio Pedagógico Específico (Sape) e quatro módulos do Centro Municipal de Atendimento Especializado de Apoio ao Escolar (Cemeaes).
Estes módulos oferecem atendimento prioritário a este público. Além disso, o município tem serviço de Classe Hospitalar e atendimento domiciliar aos alunos que não se encontram em condições de frequentar a escola por algum período.
Em outubro, a Secretaria de Educação realizou um seminário com finalidade formativa em inclusão social.
“Este ano, o município ampliou a contratação de profissionais, como psicólogos e fonoaudiólogos, professores de Educação Física e assistentes sociais, buscando expandir o atendimento nos Cemeaes. Todos os aprovados em processo seletivo para ASE foram contratados para atuar na política de inclusão e ainda contratamos professores”, ressaltou superintendente de Educação Inclusiva e Social, Janaína Pinheiro.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.