Ministério suspende recolhimento do FGTS em cidades que decretaram calamidade pública em SC

ministerio-suspende-recolhimento-do-fgts-em-cidades-que-decretaram-calamidade-publica-em-sc

O Ministério de Estado do Trabalho e Emprego publicou no Diário Oficial da União, na última sexta-feira (8), a portaria que autoriza a suspensão da exigência dos recolhimentos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para os empregadores dos municípios catarinenses.

Ministério suspende recolhimento do FGTS em cidades que decretaram calamidade pública em SC

Rio do Sul decretou calamidade pública após enchente em outubro. – Foto: Reprodução/ND

A portaria n°3.782 autoriza a suspensão do pagamento do FGTS referente aos exercícios de novembro de 2023 a fevereiro de 2024, para os municípios que tiveram o decreto de calamidade pública reconhecido pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional.

A ação ocorre após as fortes chuvas que atingiram o Estado nos últimos dois meses, em que milhares de famílias foram atingidas e diversos estragos contabilizados.

Maioria das cidades estão localizadas no Alto Vale

Ao todo, 17 municípios foram contemplados, a maioria da região do Alto Vale do Itajaí, uma das mais atingidas.

As cidades que tiveram a suspensão da exigência dos recolhimentos são Agrolândia, Agronômica, Aurora, Botuverá, Braço do Trombudo, Brusque, Ituporanga, Laurentino, Lontras, Otacílio Costa, Pouso Redondo, Rio do Oeste, Rio do Sul, São João Batista, Taió, Trombudo Central e Vidal Ramos.

Conforme a portaria, os depósitos referentes às competências suspensas serão realizados em até seis parcelas a partir de abril de 2024, na data prevista para o recolhimento mensal devido.

Além disso, o agente operador do FGTS deverá definir os procedimentos operacionais para os empregadores no prazo de até 10 dias a partir da publicação da portaria.

 

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.