Concurso de diplomata: Itamaraty autoriza edital com 50 vagas e salário de R$ 20,9 mil


Processo seletivo exige conhecimento em várias disciplinas e é considerado um dos mais difíceis e concorridos do país; saiba mais sobre a carreira. Palácio do Itamaraty em Brasília
Divulgação Governo Federal
O Ministério das Relações Exteriores autorizou a realização de um novo concurso para diplomata, com 50 vagas e salário inicial de R$ 20,9 mil. O cargo é de terceiro-secretário, que é o início da carreira de diplomacia.
O processo seletivo exige conhecimento em várias disciplinas e é considerado, atualmente, um dos mais difíceis e concorridos do país, afirma Jean Marcel Fernandes, coordenador do curso preparatório para concursos de diplomata do Gran Cursos Online.
✅ Clique aqui para seguir o canal do g1 Concursos no WhatsApp.
No ano passado, a jornalista pernambucana Jullie Dutra, que estuda para o concurso, foi a primeira pessoa a ganhar o prêmio máximo de R$ 1 milhão no quadro “Quem quer ser um milionário”, no programa “Domingão com Huck”.
Ela disse que chega a passar 18 horas por dia estudando e que navegar por tantas disciplinas exigidas no concurso a ajudou a ter bagagem para responder às questões do programa.
👩‍💼 MAS, AFINAL, O QUE FAZ UM DIPLOMATA? – Os diplomatas são servidores públicos concursados que representam o Estado brasileiro, assim como seus cidadãos, no exterior.
Eles negociam os interesses do país em conferências internacionais e atendem os cidadãos brasileiros nos consulados, entre outras funções.
✍️ E COMO É O CONCURSO? – No Brasil, o Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) é realizado todos os anos pelo Instituto Rio Branco (IRBr), academia diplomática brasileira subordinada ao Itamaraty. Em 2023, também foram abertas 50 oportunidades para a carreira.
Agora, a autorização para o concurso deste ano foi publicada na última sexta-feira (14) no Diário Oficial da União.
A portaria prevê a realização de provas objetivas e escritas, com questões de língua portuguesa, história do Brasil, história mundial, geografia, língua inglesa, política internacional, geografia, direito e língua espanhola ou língua francesa.
Conforme a publicação, a primeira prova deverá ser aplicada em até dois meses após a divulgação do edital, que ainda não tem data definida.
Qualquer cidadão brasileiro nato com formação superior reconhecida pelo Ministério da Educação pode se tornar diplomata.
Geralmente, são aprovados no concurso candidatos que se preparam por dois a três anos para as provas, afirma o professor Jean Marcel, que também é Ministro da Carreira de Diplomata e serve no Consulado-Geral do Brasil em Los Angeles.
LEIA TAMBÉM:
TSE Unificado: o que se sabe sobre o concurso que vai preencher mais de 400 vagas na Justiça Eleitoral
CNU em agosto: como reorganizar os estudos até a nova data da prova?
Conheça a Jullie Dutra:
Quem é Jullie Dutra, a primeira vencedora do ‘Quem Quer Ser Um Milionário’?
Veja dicas para estudar para concurso:
Como estudar legislação para concurso?
Veja dicas de como fazer uma boa redação para concurso
Adicionar aos favoritos o Link permanente.