Mauro Cid e o pai prestam depoimento à PF nesta terça após descoberta de nova joia nos EUA


Em investigação nos Estados Unidos com o FBI, PF descobriu nova joia que pode ter sido negociada irregularmente pelo entorno de Bolsonaro. Mauro Cid fez acordo de delação premiada para contar o que sabe em troca de redução da pena. Mauro Cid, ex-ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, presta novo depoimento à Polícia Federal nesta terça-feira (18). O pai de Mauro Cid, o general Mauro Lourena Cid, também é esperado para depor.
A PF marcou esse depoimento após descobrir, durante investigações nos Estados Unidos, a existência de uma nova joia que pode ter sido negociada irregularmente naquele país por aliados de Bolsonaro.
Mauro Cid, ex-ajudante de ordens, era um dos principais homens de confiança de Bolsonaro durante o mandato na Presidência. Ele fechou acordo de delação premiada com as autoridades para contar o que sabe sobre os eventuais crimes em troca de uma pena menor.
Há um inquérito, em curso na PF, que investiga se Bolsonaro e aliados se apropriaram indevidamente de joias dadas de presente pelo governo da Arábia Saudita ao governo brasileiro durante o governo anterior.
Pelas regras brasileiras, esse tipo de presente deve ser adicionado ao acervo do Estado. Mas polícia tem indícios de que os conjuntos de joias, avaliados em milhões de dólares, chegaram a ser negociados nos EUA.
Há algumas semanas, uma joia da qual ainda não se tinha conhecimento entrou no radar da PF. A descoberta ocorreu durante uma diligência realizada em parceria com o FBI.
Em café da manhã com jornalistas na semana passada, o diretor-geral da PF, Andrei Rodrigues, falou sobre o tema.
“Houve um encontro de um novo bem vendido ou tentado ser vendido no exterior. Tecnicamente tem o poder de robustecer a investigação que tem sido feita. Desde a apreensão no aeroporto, até hoje. Expectativa é concluir em junho [o inquérito da joia]”, declarou Andrei.
Ele também informou que o inquérito das joias deve ser concluído ainda neste mês de junho.
Joias sauditas: PF conclui perícia e diz que itens dados a Bolsonaro valem mais de R$ 5 milhões
Os conjuntos de joias
Entre as peças, estava um kit de joias composto por um relógio da marca Rolex de ouro branco, um anel, abotoaduras e um rosário islâmico entregue a Bolsonaro.
Kit com joias em ouro branco negociado ilegalmente por assessores de Bolsonaro nos EUA
PF/Reprodução
Outro kit tinha joias femininas. Ao tentar entrar no Brasil sem declarar o kit, aliados de Bolsonaro foram parados pela Receita Federal. Lá, disseram que o kit era para a então primeira-dama, Michelle Bolsonaro.
Colar pertencente ao kit de joias femininas dado ao governo Bolsonaro pela Arábia Saudita
Reprodução/Fantástico
Adicionar aos favoritos o Link permanente.