Chuva ameaça festas de ano novo em um dos principais pontos turísticos de Mato Grosso


A situação preocupa o turismo. Até o ano novo são esperados cerca de cem mil visitantes na Chapada. O comércio também já sente os efeitos. Estrada de acesso à Chapada dos Guimarães (MT) está interditada por causa dos deslizamentos
A chuva está ameaçando as festas de ano novo num dos principais pontos turísticos de Mato Grosso.
No posto do batalhão de trânsito da PM, uma triagem com os motoristas. “Destino? Chapada? Lá, no momento, tá interditado”, diz um policial.
O trânsito na rodovia MT 251, principal ligação entre Cuiabá e a Chapada dos Guimarães, já tinha sido reduzido para meia pista no fim de semana por causa de um deslizamento de rochas, próximo ao Portão do Inferno, um dos pontos de contemplação da Chapada.
Nesta terça, a Defesa Civil interditou totalmente o trecho por causa das chuvas, que aumentaram os riscos de novos deslizamentos.
Chuva ameaça festas de ano novo em um dos principais pontos turísticos de Mato Grosso
Reprodução/TV Globo
“Com o solo encharcado e veículos passando naquele trecho, né, há um abalo na estrutura da rodovia que pode causar aí uma trepidação e ocasionar novos deslizamentos e acontecer algum tipo de acidente”, diz Luís Cláudio Pereira da Cruz, secretário em exercício da Defesa Civil de Mato Grosso.
Em dois meses, foram pelo menos três deslizamentos.
“O processo de queda de bloco é um processo natural, porém, as fortes secas que atingiram a região nos últimos anos podem ter contribuído para tornar essa rocha ainda mais fraca, uma vez que, quando essa rocha resseca muito, as fraturas tendem a aumentar e os grãos tendem a se soltar um do outro com mais facilidade. Depois, quando vem a estação de chuva como agora, essa rocha ela fica encharcada, como se fosse uma esponja, isso faz com essa rocha fique ainda mais pesada, e aí a gravidade faz o restante”, diz o geólogo Caiubi Kuhn.
O governo de Mato Grosso decretou situação de emergência depois que uma avaliação técnica identificou dez pontos de risco de deslizamento. Três deles ficam mais próximos do Portão do Inferno e são os mais perigosos. O governo está monitorando as rochas, impondo restrições de trânsito e planeja obras de contenção.
Existem outras duas rodovias que ligam Cuiabá e a Chapada dos Guimarães, mas os percursos são maiores até 150 quilômetros a mais. Uma das alternativas, a MT 246, também está bloqueada por causa das chuvas. A Secretaria de Infraestrutura corre para liberar a estrada.
“Tá meio atolado aqui nessa estrada. Sem apoio. Todo mundo encostado aqui. Vários caminhões aqui parados”, diz um homem, num vídeo.
A situação preocupa o turismo. Até o ano novo são esperados cerca de 100 mil visitantes na Chapada.
“Teve colega da gente de cliente que já tinha feito a reserva, pedindo para cancelar pela insegurança. ‘Vai passar? Ou não vai passar? Tá interditado?’ Ou não tá interditado?”, diz Marialva Martins, dona de pousada.
O comércio também já sente os efeitos. Segundo o dono de um supermercado, o preço do frete das verduras que vem de Cuiabá já subiu.
“Tem que dar uma volta aí de praticamente 200km. Com certeza, isso vai aumentar de preço na cidade inteira né?”, diz Alaerte Freitas.
Moradores da região e vistantes esperam que a piista seja liberada o quantos antes com segurança.
“Não é só pela proximidade, mas tem o contemplar a beleza né? Isso é o fator primordial”, diz um motorista.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.