Roupas de algodão vendidas no Brasil já permitem ao comprador saber a origem da matéria-prima que foi usada


A responsabilidade na produção fez o Brasil sair de segundo maior importador de algodão na década de 90, para o segundo maior exportador. Atrás apenas dos Estados Unidos. Roupas de algodão vendidas no Brasil já permitem ao comprador saber a origem da matéria-prima que foi usada
Reprodução/TV Globo
Roupas de algodão vendidas no Brasil já permitem ao comprador saber a origem da matéria-prima que foi usada.
A loja onde o Rogério trabalha, em Cuiabá, só vende roupas produzidas com algodão 100%.
“Hoje nós trabalhamos com algodão 100% mato-grossense. Nós temos vários parceiros e vários produtores da Bahia também que fazem parte dessa conexão do algodão brasileiro né”, diz o gerente comercial.
As roupas comercializadas na loja tem uma característica diferente: um QRcode, que funciona como uma etiqueta. Por ele, o consumidor acompanha todo o caminho percorrido pelo algodão – do campo, até ser transformado em uma camiseta.
“Então aqui eu tenho a informação dos produtores de Mato Grosso, logo na sequência vem a parte da fiação, depois a parte de tecelagem e malharia, confecção e a gente, que faz a distribuição dos nossos produtos”, mostra Rogério.
Roupas de algodão vendidas no Brasil já permitem ao comprador saber a origem da matéria-prima que foi usada
Reprodução/TV Globo
Henrique aderiu a tecnologia e a rastreabilidade de olho no mercado cada vez mais exigente. Reservou parte de uma lavoura que depois vai se transformar nas roupas vendidas na loja dele.
“Esse fardo aqui é exatamente a nossa plantação de camisetas, né? Por que nós escolhemos esse lote aqui? Sabemos de onde é a origem, porque fomos nós que plantamos esse algodão. Agora vai percorrer aí em torno de 6, 7 a 8 mil quilômetros para que ele retorne aqui pra nós em forma de peças de roupas”, explica o empresário.
Dois selos, um nacional e outro internacional garantem a rastreabilidade. Pra ter os selos, a produção precisa ser feita de maneira sustentável, respeitando as leis ambientais e trabalhistas.
São levadas em consideração, por exemplo, os cuidados com o solo, com as áreas de preservação e com a água, além da certeza de que não houve trabalho escravo durante todo o processo.
A maior parte do algodão produzido no Brasil é rastreável.
A responsabilidade na produção fez o Brasil sair de segundo maior importador de algodão na década de 90, para o segundo maior exportador. Atrás apenas dos Estados Unidos.
“Nós precisamos deixar essa marca de que nós respeitamos o mundo, respeitamos o meio ambiente e respeitamos as gerações futuras”, diz o presidente da ABRAPA – Associação Brasileira de Produtores de Algodão, Alexandre Schenkel.
Roupas de algodão vendidas no Brasil já permitem ao comprador saber a origem da matéria-prima que foi usada
Reprodução/TV Globo
Adicionar aos favoritos o Link permanente.